#SmartDataSprint 2019: para além do engajamento visível

Em sua terceira edição, o Smart Data Sprint ocorreu entre os dias 29 de janeiro a 01 de fevereiro na Universidade Nova de Lisboa, em Portugal. Com liderança de Janna Joceli Omena — Doutoranda em Digital Media na NOVA FCSH e pesquisadora membra do iNOVA Media Lab — a premissa do evento é reunir professores, estudantes e pesquisadores de diversas localidades do mundo para discutir, aprender e aplicar métodos digitais.

Participantes da edição 2019 | Fonte: iNOVA Media Lab

Durante a semana os participantes tiveram a oportunidades de ouvir palestras de professores referenciais como Richard Rogers, Professor Doutor em Novas Mídias e Cultura Digital da Universidade de Amsterdam e também diretor do Digital Methods Initiative e de Bernhard Rieder também Professor Doutor em Novas Mídias e Cultura Digital da Universidade de Amsterdam, membro do DMI e um dos responsáveis pela ferramenta NetVizz, entre outras.

Além disso, o evento contou com as pratical labs — oficinas estilo “mão na massa” sobre ferramentas que podem auxiliar o pesquisador no processo de extração, análise, organização e visualização de dados, como query design, análise de redes com Gephi, visualização de dados com RawGraph, análise de redes com NodeXl, entre outras.

A ideia é aplicar o aprendizado das pratical labs (e/ou de experiências anteriores) nos projetos sugeridos previamente e que foram trabalhados em pequenos grupos durante a semana do Smart Data Sprint. Nessa edição foram quatro propostas: Apps de Jornalismo, Circulação de mitos sobre saúde nas mídias sociais: os casos das terapias de detox e o movimento anti-vacina, Interrogando API’s de visualização de Imagens e Frugal Innovation. Entre quarta e sexta-feira os participantes aplicaram metodologias e análise de dados de acordo com a problemática de cada projeto. Para finalizar, no último dia foram apresentados os resultados prévios, dificuldades do caminho percorrido, aspectos importantes descobertos, questões e sugestões.

Todo material (apresentações e relatórios) será disponibilizado em breve, atualizo aqui quando ocorrer. Foi uma semana incrível com muito aprendizado, trocas e reflexões. Para quem já quiser aquecer para a edição de 2020, veja a cobertura fotográfica na página. 😉

[UPDATE: SAÍRAM OS RELATÓRIOS DOS PROJETOS | 21/03]

Foram disponibilizados os relatórios dos projetos desenvolvidos no Smart Data Sprint. O material apresenta o tema, facilitadores, equipe de pesquisadores, a problemática e questões que norteiam a pesquisa, além da metodologia utilizada, os dados encontrados e uma discussão de todos os insights do projeto. Provavelmente alguns tópicos virarão artigos mais detalhados futuramente, como no caso do Interrogating API’s (do qual eu participei) que tem por si vários tópicos muito específicos. Abaixo o link e uma breve descrição de cada um.

Projeto Interrogating Vision APIs: o objetivo foi de comparar três API’s de análise de imagens (Google, IBM, e Microsoft), três bancos de imagens (Shutterstock, Adobe Stock e Getty Images) e especificações culturais, conceituais e de categorização das API’s por nacionalidades e assim tentar encontrar nuances para uma análise de crítica.

Projeto Journalism Apps: a ideia era de explorar as informações possíveis dos aplicativos de jornalismo no Google Play Store, sobretudo a partir das dinâmicas de categorização, palavras-chave e apps relacionados.

Projeto Health myths’ circulation on social media: the cases of detox therapies, anti-vaxxers and zika epidemics: nesse projeto a missão era averiguar as controvérsias entre o discurso de saúde via detox e o movimento anti-vacina em diversas plataformas de mídias sociais.

Projeto Frugal Inovation: ainda em processo de escrita.


Please follow and like us:
0

1 thought on “#SmartDataSprint 2019: para além do engajamento visível

  1. Pingback: Projeto investiga capacidades tecnoculturais de APIs de computação visual | IBPAD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *