Mulheres da comunicação e das relações públicas

Em geral, eu tenho muito medo de fazer lista, porque a gente nunca conhece todo mundo do mercado e sempre ficam bons nomes de fora. Mas neste oito de março decidi fazer uma lista de mulheres da comunicação e das relações públicas que eu tenho admirado no atual contexto. Seja por seus projetos, posicionamentos, liderança, trajetória, etc.

No que se refere à ações de comunicação, sempre vemos uma série de barbáries, geralmente por falta de conhecimento do que representa a própria data e ao que é ser mulher na sociedade. O oito de março não é uma data para comemorar ou dar flores. É uma data para pensarmos, questionarmos e provocarmos sobre onde estamos enquanto seres subjugados na sociedade, aqui sobretudo no mercado de trabalho e na academia. Temos que refletir sobre onde podemos (e devemos) chegar e como fazer tudo acontecer.

Nesta lista terão professoras, estudantes, empreendedoras, pensadoras e outras tantas mulheres que fazem coisas incríveis no que cada uma se propõe durante todo o ano e que, sem dúvida, somam na construção de um contexto mais próximo do ideal.  😉 

leilaLeila Evelyn | É estudante de relações públicas na Fapcom, 20 anos, empreendedora no Afrontará – marca de moda afro que visa resgatar a ancestralidade da mulher negra através e para além da estética – e co-fundadora da organização Ainda existe amor em SP – que atua com ações em comunidades periféricas. No novembro negro de 2015 junto com Thais Borges organizou o Enegrecendo a Comunicação – o primeiro evento da Fapcom com a proposta de debater sobre estudantes e profissionais negros na academia e do mercado de trabalho.

thaisfabrisThais Fabris | Publicitária e uma das fundadoras, junto com Maria Guimarães e Larissa Vaz, do coletivo 65/10 e da Cerveja Feminista, o grupo visa questionar o machismo que existe nos departamentos de criação e a segregação de mulheres criativas nas agências de publicidade do país. A referência parte da pesquisa que demonstra que 65% das mulheres dizem não se identificar com a forma como são retratadas na publicidade e em contra partida existe somente 10% de mulheres no departamento de criação das agências brasileiras. O projeto mais atual do coletivo é o levantamento A Revolução Delas que traz uma série de informações sobre o comportamento e conquistas femininas.

anamanssourAna Manssour | Relações-públicas pela PUC-RS, consultora na Pro.RP Relacionamentos Sustentáveis, diretora do Plena Mulher e coordenadora do Verbo Mulher que é uma iniciativa que reúne, integra, educa e apoia as mulheres executivas, empresárias e empreendedoras que buscam realização pessoal e profissional a partir de cursos, palestras e encontros. O projeto está centralizado na região de São Bernardo do Campo, na grande São Paulo e conta com encontros mensais de mulheres empreendedoras da região.

gabimouraGabriela Moura | Um dia estava eu, linda e negra, lendo meus Alertas Google para o termo “relações públicas” quando vejo o título Eu, ex cotista, vagabunda. Daí conheci a Gabi, que é relações-públicas pela UEL, atualmente empreendedora na  Dolce Latteria – Leites Vegetais, feminista e uma grande referência particular no que se refere a questionar o status quo, sobretudo em relação ao mercado de trabalho. Poucos sabem, mas a série EnegreceR[P] teve sua sementinha plantada ao ler o relato da Gabi.

marciacechiniMárcia Ceschinni | Relações-públicas, professora e atualmente consultora na Ceschini Consultoria, uma das principais referências brasileiras na área de mídia sociais e comunicação digital. Amiga de longa data do VRP, desde os tempos de Papos na Rede – um projeto para debater e compartilhar ideias sobre comunicação digital e cibercultura idealizado por Márcia, que, certamente, foi um projeto responsável por orientar a carreira de muitos jovens profissionais.

marianaoliveiraMariana Oliveira | Relações-públicas pela UFRGS, atua com comunicação digital e mídias sociais há 7 anos e atualmente trabalha na Havas WW. A partir de um debate sobre a não presença de mulheres palestrantes em eventos de comunicação, lançou junto com Nathália Capistrano e Ana Paula Passarelli, a lista Convide uma mulher para palestrar com sugestões de mulheres destaques nas áreas de comunicação, digital e tecnologia de todo o Brasil para ocupar espaços nos eventos.

gabrielavallimGabriela Vallim | Recém formada em jornalismo,  21 anos e uma das articuladoras do Festival #15contra16 – movimento contra a Redução da Maioridade Penal e a favor da vida da juventude e dos diretos humanos. Além disso é  Pesquisadora de Relações Étnico Raciais e articuladora do Juventude Viva (programa do Governo Federal para combate à violência contra juventude negra), na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

* Artigo publicado no Versátil RP em 2016 para o dia internacional da mulher

Related Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *