Editora Atena lança coletânea sobre comunicação

Acaba de ser lançada a coletânea “A Influência da Comunicação” da Editora Atena, sob organização de Marcelo Pereira da Silva.

O e-book conta com 25 artigos divididos em 3 partes: a primeira engloba discussões a respeito da influência do jornalismo em suas muitas nuances na sociedade contemporânea; a segunda envolve a influência do ensino, políticas públicas, comunicação de marcas e participação social; e a terceira abarca a influência da comunicação no contexto das redes/mídias sociais da internet.

Meu artigo Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: breve estudo sobre o Afroempreendedorismo no Brasil integra a coletânea, que pode ser baixada gratuitamente aqui.

Contornando Invisibilidades: Curadoria e Resgate de Conhecimentos Negros

Na semana passada ocorreu o curso Humanidades Digitais Negras, que teve como objetivo debater as relações étnico-raciais permeados pelo ambiente digital à luz dos estudos sobre a Black Digital Humanities. As aulas foram conduzidas por Tarcízio Silva, Morena Mariah, Larisse Pontes, Fernanda Souza e eu.

A aula Contornando Invisibilidades: Curadoria e Resgate de Conhecimentos Negros propôs a reflexão sobre como as tecnologias negras foram determinantes para o desenvolvimento econômico do país e como, na contemporaneidade, coletivos negros vêm utilizando as ferramentas tecnológicas para compartilhar conhecimentos e ideias (ideais).

Com base em trabalhos desenvolvidos desde 2017 a respeito do tema e de resultados da dissertação, foram apresentados ações de cunho político-social e perfil do movimento Afroempreendedor no Brasil.

Abaixo disponibilizo a apresentação e as referências utilizadas nesta reflexão.

Contornando Invisibilidades: Curadoria e Resgate de Conhecimentos Negros from Taís Oliveira

Tecnologias Negras serão debatidas em programação de Outubro no Sesc

A incrível programação, que ocorre em São Paulo, Grande São Paulo, interior e litoral, está dividida em cinco eixos que se relacionam com adinkras (símbolo ideográfico originário de povos da África Ocidental):

  • Sankofa Um olhar para o passado | Tecnologias Ancestrais – Tradicionais, da Palavra e Manuais
  • Nea Onnim No Sua A, Ohu Quem não sabe pode saber aprendendo | Tecnologias Digitais e Contemporâneas
  • Nyansapow Nó da sabedoria e magia | Afrofuturismos, Distopias e Utopias
  • Mpatapow Nó de reconciliação e de paz | Tecnologias Invisibilizadas e de Resistência
  • Ananse Ntontan Sabedoria, criatividade e complexidade da vida | Estética, Crítica e História da Arte
Arte por: Marcelo D’Salete 

Participo de duas atividades:

>> Estudos das relações étnico-raciais permeados por ambiente digital nas perspectivas das Humanidades digitais negras <<

Entre os dias 02 a 04 de outubro, das 19h30 às 21h30, no Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo a atividade conta com o seguinte percurso:

  • 2/10. Humanidades Digitais Negras: Tecnologias de Resgate com Tarcízio Silva.
  • 3/10. Contornando Invisibilidades: curadoria e resgate de conhecimentos negros com Morena Mariah e Taís Oliveira.
  • 4/10. Textualidades e Visualidades Digitais: da literatura à política da estética com Larisse Pontes e Fernanda Sousa e Silva.

>> Apropriação Cultural e Empoderamento Negro na Web <<

No dia 30/10, das 16h às 18h, no Sesc Florêncio de Abreu

O debate com Gilberto “Tensai”, Stephanie Ribeiro e Taís Oliveira sobre representatividade e o empoderamento negro possível e necessário nas mídias e redes sociais, suas perspectivas para o futuro e dificuldades enfrentadas até o momento.

Confira também:

Fique atento às datas de inscrição, pois as vagas são limitadas! 😉

Oficinas e Minicursos no #Intercom2019

Está chegando o #Intercom2019 que este ano será em Belém do Pará entre os dias 02 e 07 de setembro. Além das mesas, palestras, premiações e apresentação nos Grupos de Pesquisas, o Intercom também organiza diversas oficinas para os congressistas.

Este ano vou levar a oficina Desenvolvendo uma revisão sistemática (ou estado da arte) com o auxílio da ferramenta StArt, que será no dia 07 de setembro das 9h30 até 11h30.

A ideia da revisão sistemática é encontrar e catalogar trabalhos já publicados em relação a determinado tema. Esse tipo de organização é bom para que o pesquisador tenha um panorama do que já foi dito, quais metodologias foram utilizadas, quais conclusões foram encontradas e assim por diante. Dessa forma possibilita um olhar mais maduro em sua pesquisa, encontrar pares ou ainda inovações possível no campo.

StArt é uma ferramenta desenvolvida no Laboratório de Pesquisa em Engenharia de Software da UfScar que possibilita essa categorização. As inscrições podem ser feitas na área reservada ao congressista no Portal Intercom. 😉

Referências:
Fabbri, S., Octaviano, F., Silva, C., Di Thommazo, A., Hernandes, E., and Belgamo, A. (2016). Improvements in the Start tool to better support the systematic review process. In Proc. of the 20th International Conference on Evaluation and Assessment in Software Engineering (EASE’16), Limerick, Ireland, June 2016.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 79, p. 257-272, Aug. 2002.

Interdisciplinaridade e Triangulação Metodológica em Pesquisas sobre Identidades no campo da Cultura Digital

Artigo aceito no GP de Comunicação e Cultura Digital do #Intercom2019 e disponível para leitura via Research Gate.

O artigo tem como objetivo discutir as estratégias de método e percursos teóricos interdisciplinares ao se optar pela triangulação metodológica no aprofundamento de investigação baseada em identidades no campo da cultura digital. A reflexão ocorre a partir da minha pesquisa de mestrado intitulada ‘Redes Sociais na Internet e a Economia Étnica: um estudo sobre o Afroempreendedorismo no Brasil‘ e busca compreender quais os benefícios e limitações na proposta de pesquisas neste escopo.

Update: disponibilizando a apresentação! 😉

Interdisciplinaridade e Triagulação Metodológica em Pesquisas no campo da Cultura Digital: reflexões a partir do Afroempreendedorismo from Taís Oliveira