Trampo de Preta – o empreendedorismo das mulheres negras

O Trampo de Preta é o produto final das estudantes de jornalismo (agora formadas) Caroline Fernandes, Paloma Sganzerla e Sarah Furtado da Faculdade Rio Branco. A plataforma tem como objetivo reunir e dar visibilidade às histórias de mulheres negras empreendedoras.

Participei da série falando da minha pesquisa sobre afroempreendedorismo e economia étnica, que você pode conferir abaixo. O material conta ainda com entrevistas de Maria Sylvia, Adriana Barbosa, Raquel Barbosa, Daniele Damata, Gisele Coutinho e Aline Medeiros. Para ver todas as entrevistas acesse o canal.

Quando a mulher negra se movimenta, toda a estrutura da sociedade se movimenta com ela” (Angela Davis)

Vem aí o Coda.br 2018 com a presença de jornalistas e pesquisadores internacionais

As pesquisas eleitorais influenciam nas urnas? É possível “entrevistar” uma base de dados de milhares de linhas? O que é Machine Learning e como ele pode contribuir pra investigações jornalísticas? Como verificar a fila de atendimento no SUS a partir de dados públicos? Como conseguir evidências ou boas histórias utilizando bases de dados públicas? Que tal usar a linguagem R para analisar políticas governamentais?  

Essas são algumas das perguntas que o time de especialistas convidados pela Open Knowledge Brasil irão responder na 3ª edição da Conferência Brasileira de Jornalismo de Dados e Métodos Digitais.

O evento, realizado em parceria com a Google News Initiative, é o primeiro do Brasil focado em jornalismo de dados e reúne alguns dos melhores profissionais do mercado para trocar ensinamentos e experiências sobre a área. Ele acontece nos dias 10 e 11 de novembro na ESPM, em São Paulo.

Oficina sobre “Mapeamento Científico no Google Acadêmico com o Start”

O mapeamento de fontes acadêmicas é uma etapa essencial para o trabalho de jornalistas e cientistas sociais. Porém é necessário ir além do básico e explorar as possibilidades de bancos de catálogos digitais, como Scielo, Capes e Google Scholar que possibilitam maior praticidade na busca dessas referências.

Essa prática é otimizada a partir do uso de ferramentas de coleta e organização de dados, como o StArt. Em alguns passos a ferramenta auxilia no planejamento, execução, categorização e visualização de dados obtidos em revisões sistemáticas. Aprenda todas as etapas para manusear o StArt.

Facilito essa oficina no domingo (11/11) às 10:45, se inscreva no link.  😉

NEAB – UFABC promove Semana da Consciência Negra

O NEAB – UFABC (Núcleo de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros) promove a primeira Semana de Consciência Negra da UFABC (Universidade Federal do ABC). A semana contará com mesas sobre ações afirmativas, religiões de matriz africana, oficina de jogos, minicursos, entre outras atividades.

Acesse o site do NEAB-UFABC para mais informações.

Coletivo 21N promove III Semana Preta

O Coletivo 21N da FESP/SP promove na próxima semana (entre 05 e 09 de novembro) a III Semana Preta com uma programação diversa que vai de workshop sobre segurança da informação, afroempreendedorismo e política para minorias, entre outros tópicos.

Na quinta participo da mesa Afroempreendedorismo e Econômica Etnica: A Diversidade das Fontes de Renda da População Negra, a partir das 19h. Estão todos convidados ;).

Para mais informações acesse a página do evento.

Curso Introdutório sobre a Lei de Acesso à Informação

Com o objetivo de promover relações mais transparentes entre o estado e a sociedade, a Lei de Acesso à Informação (LAI) entra em vigor no país em maio de 2012. A ferramenta tem sido muito utilizada por civis de modo geral, mas também por pesquisadores, cientistas sociais e de dados, jornalistas entre outros profissionais para obtenção de dados abertos de programas, projetos e prestação de contas dos governos.

O IBPAD acaba de lançar o curso Introdução a Dados Abertos e à LAI do qual sou professora. O curso conta com três módulos que abordam o histórico do debate sobre a LAI no Brasil e mecanismos de transparência em outros países, aspectos técnicos sobre como solicitar informações, o que é transparência ativa e passiva, como elaborar recursos, lista de organizações e grupos de pesquisas que tratam do tema, lista de ferramentas para lidar com dados e uma entrevista com Bárbara Paes que trabalhou por anos na Artigo 19 – uma das mais importantes instituições que trabalham com a causa do acesso à informação pública.

Acesse a página do curso e saiba mais detalhes. 😉